Olá, meus amores!

Eu sei que fui a última pessoa do universo a ler ACEDE, mas queria trazer minha opinião sobre a leitura. Antes, vamos à sinopse para contextualizar:

Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Eu entendi a fama do livro quando o li. Adorei! A leitura é bem leve, jovem e irônica. Achava que por se tratar de um romance sobre doenças terminais, seria super triste, mas não; a tragédia deste fato cerca todos os momentos do livro, mas é falado de modo cômico. O tom muda muito de um ponto da história em diante, mas não vou dar spoilers.

Outra coisa que me chamou atenção foi o quão reflexivo ele pode ser. Sem chocar muito, fala-se sobre a inevitabilidade da morte, o medo do esquecimento, sobre vida pós-morte, dentre outros temas. O tempo todo eu pensava: poderia ser comigo.

E, se você gosta de assistir filmes baseados em livros, A culpa é das estrelas é uma excelente proposta. O filme é o mais fiel à obra original que eu já assisti.


E você, o que acha de ACEDE?
Um beijão, e até mais :D


Deixe um comentário