Olá, meus amores! Como já virou hábito, início de mês é época de falar da minha última meta de leitura, isto é, o livro que adotei para ler no mês que se passou. No caso deste último mês, o escolhido foi "Melhor que comprar sapatos", da Cristiane Cardoso. Eu conhecia o trabalho da Cris através do programa feito ao lado de seu marido, Renato, "The love school", da Rede Record. Como sempre me surpreendi com a diferença das dicas de Cristiane com temas já muito manjados, resolvi dar uma chance a seu livro.











































Quero começar citando alguns pontos "negativos" que senti com essa leitura, mas aviso que tive muito a elogiar também. Não tinha lido nenhuma resenha dele antes de comprar, então minha única referência foram as informações das capas do livro, que avisavam que não se tratava de um livro sobre sapatos realmente e sim, de histórias e vivências de Cris. Quando abri o livro, notei que não era bem isso: trata-se de uma colação de pequenos artigos que a autora escreveu ao longo da vida, envolvendo seu conhecimento de psicologia e de fé cristã, que pouco tem de experiências pessoais narradas, e sim, essencialmente conselhos formulados  para as mulheres. Então, vamos deixar algumas coisas claras: 1) É um livro de autoajuda; 2) A autora se dirige diretamente ao público feminino, então, é um livro para mulheres; 3) O livro tem forte conteúdo cristão, de modo muito direto, e parte do pressuposto de que quem lê são mulheres cristãs (não especificando religião; sou católica e Cris é evangélica, e não tive grandes desacordos de opiniões). Honestamente, só fiquei um pouco chocada por comprar uma obra que parecia ser uma coisa e foi outra, desperta o sentimento de que tentaram te enganar. Por outro lado, me encaixo no perfil de leitor que o livro pede, então posso dizer que lê-lo não foi nenhum problema; eu adorei o que li.













































Admiro o trabalho de Cris pela suavidade e calma que ela passa. Nunca curti muito livros de autoajuda, mas nesse acabei me prendendo até o fim. Sempre adorei pessoas que conseguem conciliar ciência e fé: uma não é o oposto da outra; a fé não foi feita para contestar a ciência. O que vi neste livro foi o conciliamento do conhecimento psicológico da escritora com sua vivência de fé cristã, e o resultado ficou excelente. Acho que é o tipo de livro para se ter na cabeceira, para se voltar às vezes e reler algum trecho. A própria autora recomenda que possamos ler os artigos na ordem que desejarmos. Enfim, se você for mulher e tiver fé cristã, esse livro é uma boa pedida.

Enfim, gente, essa foi minha impressão sobre o livro. Vocês já leram esse ou outro livro da Cris? O que vocês acharam? Deixa pra mim sugestão de livros para as próximas metas de leitura! Beijão, gente! Ate amanhã :D


Deixe um comentário