Olá, meus amores! Fiz uma adaptação na meta de leitura esse mês: a última meta que cumpri, de março, só foi concluída no fim de abril... E assim ficou muito difícil concluir essa leitura programada para abril a tempo. Pra deixar de neura, passei esse livro pra meta de maio, e assim normalizei o cronograma.

Gente, juro a vocês que me encantei com essa leitura. Nunca tinha lido um livro nesse estilo; é muito suave, sem pressa. Tinha medo que me decepcionasse, que perdesse o gosto pela leitura, mas ela consegue nos prender sem necessariamente nos deixar ansiosos pelo final; porém, é preciso gostar do estilo pra se sentir motivado. Mais maravilhada fiquei quando percebi que se trata da história da autora!






















































Por muito tempo, Marlena de Blasi resistiu a ir a Veneza. Até que, em 1989, seu trabalho como chef e crítica gastronômica tornou impossível continuar adiando a viagem. Assim que pôs os pés na cidade, ela ficou completamente seduzida. Seu encantamento foi tão grande que decidiu voltar todos os anos. 
Desde aquela primeira visita, Marlena sempre tinha a sensação de que estava indo a um encontro. Em 1993, o encontro finalmente aconteceu. Ela almoçava com amigos quando um garçom se aproximou e lhe disse que havia uma ligação para ela. Do outro lado da linha estava Fernando, um veneziano que, um ano antes, vira Marlena passeando pela Piazza San Marco e se apaixonara à primeira vista. 
Alguns meses depois, Marlena largava toda a sua vida nos Estados Unidos e se mudava para Veneza, para se casar com o “estranho”, como costumava chamar Fernando. 
Ele não falava quase nada de inglês. O italiano dela se resumia a algumas palavras relacionadas a comida. Ele abrira mão de seus sonhos e levava uma vida monótona e previsível. Ela era mestre em recomeçar e se reinventar. Ele gostava de tudo muito simples, inclusive as refeições. Ela adorava cozinhar pratos elaborados. 
À medida que eles superam essas diferenças e Marlena vai se familiarizando com as peculiaridades da cultura veneziana, os leitores são presenteados com uma descrição deliciosa e às vezes cômica de duas pessoas de meia-idade que, apesar de tudo, conseguem criar uma relação maravilhosa. 
Em Mil dias em Veneza, Marlena evoca vividamente as imagens, os sons e os aromas de uma das cidades mais românticas do mundo e divide com os leitores as receitas que estiveram presentes em alguns dos momentos mais importantes de sua vida. 






















































É isso, meus amores! Espero que vocês tenham gostado da dica! Beijãaao, e até mais :D  


Um Comentário

  1. Bom dia! *-*
    Primeira vez que passo por aqui e amei seu blog.


    Visita meu blog? http://maybe-i-smiled.blogspot.com.br/
    Beijinhos, Deus abençoe

    ResponderExcluir